Greenpeace: 40 anos

No dia 15 de Setembro de 1971, 12 ativistas zarparam de Vancouver num velho barco rumo à Ilha Amchitka para impedir testes nucleares.
Uma viajem pela vida e pela paz. Foi com esse pensamento que um grupo de ecologistas, jornalistas e hippies planejaram zarpar do porto de Vancouver, no Canadá, rumo ao Àrtico, com um velho barco de pesca chamado Phyllis Cormack. O plano: Impedir que os Estados Unidos levassem a cabo testes nucleares em uma pequena ilha na costa ocidental do Alasca.

Dois anos antes, mais de 10 mil pessoas já haviam tentado impedir testes e bloquearam o maior posto de fronteira entre o Canadá e os Estados Unidos, carregando faixas que diziam: “Não faça onda!”, em referência aos maremotos causados pelas explosões. Para Jim Bohlen e Irving Stowe, líderes do protesto, era preciso fazer algo mais além de faixas na fronteira.
Mal sabia o pequeno grupo de 12 ativistas que o ato de colocar a embarcação nas águas gélidas do Ártico marcaria a fundação do Greenpeace, hoje a maior organização ambientalista do planeta.
O barco, interceptado antes de chegar à ilha, não impediu que os Estados Unidos detonassem a bomba. Ainda assim, a viagem despertou a atenção da opinião pública, muito mais do que os próprios organizadores poderiam imaginar. A voz da razão prevaleceu e naquele mesmo ano os testes foram suspensos em Amchitka, então declarada santuário de pássaros.
A idéia de que alguns indivíduos podiam fazer a diferença por um planeta mais verde e pacífico se tornou realidade e amealhou uma legião de seguidores em todos os continentes. 

Aos quase 40 anos de idade, o Greenpeace festeja não só as vitórias colecionadas por quatro décadas, mas também uma trajetória que começou graças à iniciativa de 12 ativistas a bordo de um velho barco e que hoje tem o apoio de escritórios em 40 países, três navios e a parceria de seus mais de três milhões de colaboradores mundo afora.
Por acaso
Afinal, como surgiu o nome da maior organização ambientalista do mundo?? Puro acaso. Isoladas na bandeira do barco, que seguia rumo à Amchitka, as palavras Green (verde) e Peace (paz) não cabiam num button vendido para ajudar a arrecadar fundos para a viajem. A solução?? Juntar as duas palavras.
Fonte: http://www.greenpeace.org/brasil/pt/

Nenhum comentário

Postar um comentário