Cultura Brasil - Literatura de Cordel

 O Brasil que imagino

O Brasil que imagino é diferente,
Nele vejo somente cenas belas;
Não há brigas de gangues nem corruptos,
Não há ponto de drogas nem favelas.
Há somente infinitas alegrias,
Praças, parques, tranquilas moradias
E felizes são os que moram nelas.

Há varandas e flores nas janelas,
Rios limpos cruzando as avenidas...
Os casais estão sempre apaixonados,
As crianças libertas e assistidas,
Os patrões irmanados produzindo,
Os doutores curando e assistindo,
E as polícias em paz salvando vidas.

Retirado do livro Cordel em Arte e Versos (Moreira de Acopiara)

Nenhum comentário

Postar um comentário