Quem é você?? Revele-se!!

Eis que sou como um “Menestrel da Agonia”.
Esta não é uma hora mágica.
Não há magia na perplexidade
Vencidas as tolas esperanças
Cobertas as frívolas paixões
Corrompidas as ilusões
Devo nos anunciar:
-APERTARAM O BOTÃO!
Os anjos se cansaram e
alguém “apertou o botão”...
Não há como negar.
No relógio desperta a grande hora atérmica.
A evidência mais marcante
desse torpe e traiçoeiro momento
é a ausência total da covardia
e a distancia em que todos nos colocamos
da eloquente coragem.
Tempo algum nos resta,
temos apenas escolhas imediatas:
-DECIDA AGORA:
AMOR OU ÓDIO?
VERDADE OU MENTIRA?
CERTO OU ERRADO?
POR ONDE IR?
COM QUEM SEGUIR?
QUEM DEIXAR PARA TRÁS?
-MOSTRE-SE!
-REVELE-SE!

Sua verdade há de ser exposta,
deixe-nos ver quem de fato você é,
eis que será exposto
com a mesma claridade o QUEM SOU.
O mundo inteiro caminha em total velocidade.
Aqui estamos sob a pressa de uma última hora.
Nada nos resta, se não, um recomeço.
Mas não é este ainda o nosso momento.
Este é momento da SELEÇÃO!
Ou somos separados uns dos outros
conforme nossas naturezas e almas,
ou afundaremos todos neste imenso barco azul.
Então façam suas escolhas.
Esqueçam das apostas.
A verdade está lá fora a nossa espera
e a dor que nos sacrifica aqui dentro à espreita.
Mas nos momentos cruciais
a verdade e a dor,
nuas em pêlo,
diante do espelho.
Somos provados, contorcidos, alistados,
envolvidos, desmascarados... O TEMPO TODO.
Ninguém está isento do que seja.
Para todos o total merecimento
pelo tudo e pelo nada.
-Apertaram o botão!
Há uma sirene ligada nos céus.
Enlouquecida está a turba dos que não voltam mais.
Escandalizada a multidão dos que se arrependem.
Poucos os conscientes, os verdadeiramente loucos
e poucos, muito poucos, os inocentes.
Diga-se quem você é,
mas diga-me quem você quer ser.
Porque o que importa não é o que trouxe até aqui,
mas o que restar em suas mãos.
A cura escondeu-se na doença
se a moléstia é da alma.
Tenha calma, mas o tempo
não nos pertence mais.

Autor: Rosane Rocha de Freitas

Nenhum comentário

Postar um comentário