O que acontece no meio

No meio a gente descobre que precisa guardar a senha não apenas do banco, mas a que nos revela a nós mesmos. Vida é o que acontece entre o nascimento e a morte, o acontece no meio é o que importa.

No meio, a gente descobre que sexo sem amor também vale a pena, mas é ginástica, não tem transcendência nenhuma. Que tudo o que faz você voltar pra casa de mãos abanando (sem uma emoção, um conhecimento, uma surpresa, uma paz, uma ideia) foi perda de tempo.

No meio, a gente descobre que sofremos mais com as coisas que imaginamos do que com as que acontecem de fato. Que amar é lapidação, e não destruição. Que certos riscos compensam, o difícil é saber previamente quais. Que subir na vida é algo para se fazer sem pressa.
Que tudo o que é muito rápido pode ser bem frustrante. Que Veneza, Bali e Patagônia são lugares excitantes, mas incrível mesmo é se sentir feliz dentro da própria casa.

Que a vontade ´quase sempre mais forte que a razão. Que todas as escolhas geram dúvidas, todas.
Que depois de lutar pelo direito de ser diferente, chega a bendita hora de se permitir a indiferença.
Que tocar na dor do outro, exige delicadeza. Que ser feliz pode ser uma decisão, não apenas uma contingência.

No meio, a gente descobre que fazer a coisa certa é sempre um ato revolucionário.
Que é mais produtivo agir do que reagir.
Que a vida não oferece opção, ou você segue, ou você segue.
Que a pior maneira de melhorar a si mesmo é se comparando aos demais.
E que harmonizar o que pensamos, sentimos e fazemos, é um desafio que leva a vida toda, esse meio todo.

(Martha Medeiros)





Um comentário

  1. Maria Aline, adorei te ver no meu cantinho :)
    Essa história de meio ás vezes me deixa bitolada, pois tenho essa preocupação estressante em fazer tudo aquilo que quero fazer agora, para chegar no futuro, poder olhar pra trás e dizer: eu fiz tudo o que queria! Morro de medo de olhar para trás um dia e ver um período (meio) da minha vida em branco, vazio :(
    Coisa doida, né? rsrs
    bjs

    ResponderExcluir