A dor da rejeição

O sentimento de rejeição é provavelmente a ferida psicológica mais comum e recorrente em nossas vidas, não há quem não tenha sido preterido em alguma brincadeira infantil, esquecido na hora de uma festa, perdido o emprego ou sofrido desilusão amorosa.
As rejeições são os cortes e arranhões psicológicos, que machucam a pele emocional e penetram a carne e mesmo que seja recorrente não se consegue formar uma carapaça, muitos sofrem tanto que a dor lhes inunda de raiva e solapa a autoestima. Não é pra menos, o ser humano tem necessidade de ser aprovado, de ser aceito, pertencer a uma sociedade, uma família e a rejeição tira esse direito, fica um vazio.
A dor da exclusão ativa no cerebro as mesmas áreas acionadas pela dor física. O mesmo acontece com o sofrimento amoroso.
As reações das pessoas, porém, são diferentes. Há os que simplesmente superam, vão em frente, mas também há os que caem na autocomiseração e na depressão. Sem falar nos casos em que a rejeição se transforma em raiva.
As pessoas estão menos capazes de lidar com as rejeições impostas pela vida. O mundo contemporâneo propaga que é possível você ter tudo, as coisas estão mais passageiras.
Mas, fica a dor. Que pode ser superada. É preciso encarar como um aspecto da vida sabendo que sempre é possível seguir outro caminho, não que isso seja simples, é necessário se ajudar, não ter vergonha de falar sobre isso e não ficar trancado. Se mantenha forte.

(Rodolfo Lucena - Folha de São Paulo - http://www1.folha.uol.com.br/fsp/equilibrio/124863-a-dor-da-rejeicao.shtml)

Nenhum comentário

Postar um comentário