O doador de memórias

Dos livros mais recentes que li esse me marcou muito, é incrível que reflexões tão intensas possam vir de um livro com pouco mais de 100 páginas, li sem expectativas, não sabia nada a respeito e me surpreendi positivamente. Nos faz pensar sobre a importância de sentir em todos os sentidos da palavra. É uma história cheia de suspense e nos mantém envolvidos até o fim.

Sinopse: Um sociedade perfeita! Sem sofrimento, sem dor, sem constrangimento, sem ofensas... onde todos contribuem para manter o bem estar social. Satisfeitos com suas vidas ordenadas e estáveis, as pessoas conhecem apenas o agora - o passado e todas as lembranças do antigo mundo foram apagados de suas mentes. Uma única pessoa é encarregada de ser o guardião dessas memórias, com o objetivo de proteger o povo do sofrimento e, ao mesmo tempo, ter a sabedoria necessária para orientar os dirigentes da sociedade em momentos difíceis.
Aos 12 anos, idade em que toda criança é designada à profissão que irá seguir, Jonas recebe a honra de se tornar o próximo guardião. Ele é avisado de que precisará passar por um treinamento difícil, que exigirá coragem, disciplina e muita força, mas não faz idéia de que seu mundo nunca mais será o mesmo. Orientado pelo velho Doador, Jonas descobre pouco a pouco o universo extraordinário que lhe fora roubado. Como uma névoa que vai se dissipando, a terrível realidade por trás daquela utopia começa a se revelar.
****Curiosidades: Em 2014 foi feito um filme baseado no livro com Jeff Bridges e Meryl Streep.
                               Faz parte de uma série, apesar das histórias serem independentes: O doador (1993), Gathering Blue (2000), Messenger (2004) e Son (2012). Cada livro tem um protagonista diferente, mas acontecem na mesma era futurística.

Nenhum comentário

Postar um comentário