Sense8: o que é ser humano?

Oito pessoas minuciosamente “escolhidas” em oito cidades diferentes ao redor do mundo. Unidos por sensações distantes das simplicidades corriqueiras, buscando algo mais. Algo além. O caminho? Incerto. Científico, religioso, místico. Sense8 é uma série pautada em pré-conceitos estabelecidos, enraizados.A princípio, Sense8 trata de tudo, mas na verdade ele é sobre tudo. O que é ser humano? Cultivar raiva, medo, amor, compaixão, heroísmo, egoísmo. Sensações diversas onipresentes nos bilhões de seres humanos, mas destacadamente, ampliados em oito indivíduos. Estes, diferentes entre si, conectados de formas das quais uma mente precisa estar aberta, receptiva para tais conceitos. Sexo e religião são algumas das facetas do programa, que mencionados sem exageros, fazem espectadores refletirem: O que é ser humano?

Dirigido e escrito veemente para romper barreiras culturais sem desrespeitar nenhuma, Sense8 estreia avidamente, sedenta, mas sem apelos. Passeando, ela chega imprescindivelmente num momento obscuro da humanidade, onde, a tolerância é escassa, o respeito não é mútuo e a efervescência do sentimento conhecido como amor, é líquida. Escorre entre os dedos, deixando-nos à mercê das coisas realmente importantes.
Destacar diferentes culturas e opções sexuais não é polemizar, mas sim, abraçar generosamente aquilo que nos torna humanos, sensitivos. Straczynski e os Wachowski redefinem parâmetros dos quais nem precisaríamos debater num mundo utópico. Seria como assistir o nascer do Sol, e reconhecer, que na sua beleza vil, diversas cores estão juntas para contemplar um novo dia, uma nova voz.

Texto de Guilherme Moreira Jr. Colunista da obviousmag.org. Crítica completa aqui

Obs: Já faz algum tempo que quero escrever sobre essa série, quando soube que era criação dos irmãos Wachowski, sabia que mereceria atenção, então encontrei o texto perfeito que conseguiu "traduzir" os meus pensamentos.

Nenhum comentário

Postar um comentário