A Síria e o golfinho

Assistir todos os dias notícias desse povo sendo obrigado a abandonar suas casas, suas famílias, sua terra... é desesperador! Hoje no jornal noticiaram que na Alemanha estão invadindo ônibus e queimando pensões onde os refugiados seriam hospedados! É difícil acreditar que ainda possa ter gente tão fria a ponto de não entender as angústias dessa gente que está sendo obrigada a fugir.
Inevitavelmente me vem os judeus da segunda guerra à mente, um massacre assistido pelo mundo onde os que podem ajudar simplesmente cruzam os braços ou colocam o pé para que eles tropecem.
É difícil olhar pra imagem desse menino morto na praia, mas resume bem o caminho que a nossa humanidade está seguindo, se tornando fria ao sofrimento alheio.
O que passa na cabeça de quem tira um golfinho do mar pra tirar fotos vendo ele morrer?
Qual o objetivo de quem atira em dezenas de pessoas sem pensar em suas famílias?
O que pensa alguém que rouba dinheiro público, tirando de hospitais, escolas e segurança?
Por que alguém atacaria outra pessoa na rua levando seus pertences e ameaçando sua vida?
Que tipo de gente nos tornamos? Não pensamos mais nas consequências de fazer mal a outra vida?
Por que não ajudar? Por que não se importar? Por que ficar em silêncio diante de tanto mal?

(Maria Aline)

Nenhum comentário

Postar um comentário