A vendedora

Há alguns dias precisei comprar roupas, fui à loja, escolhi, experimentei, a vendedora foi simpática, atenciosa, paciente, decidi, paguei e saí. E?
Ela estava bem vestida, não com roupas caras, mas a gente percebia que se preocupou com os detalhes, a calça dobrada, as mangas da blusa... Não sei porque mas isso me fez pensar sobre a nossa vaidade diária, e não falo sobre se arrumar para impressionar os outros, mas os nossos pequenos "mimos", usar aquela blusa de um jeito diferente, tentar o penteado que sempre quis usar e estava esperando aquela ocasião que nunca chega ou só falta coragem mesmo.
Por quê tantas vezes nos esquecemos de fazer algo, talvez tão simples pra nos sentir bem?
Tanta gente encara o trabalho como uma obrigação e se acostuma a detestar segundas, o horário de sair de casa e se esquece que ali fica a maior parte do dia, o que temos de mais precioso: nosso tempo. E quando está em casa esquece também da qualidade daquele tempo! Não há nada de errado em querer ficar a vontade chinelões, pantufas, blusões largos... de vez em quando isso faz um bem sem tamanho :) Mas, seu trabalho e sua família também merecem ser encarados como "ocasiões especiais" Se arrume, se ame, brilhe pra você e para os que ama! Sempre vale a pena!

Nenhum comentário

Postar um comentário