Gari que criou filha sozinho a forma em medicina

Após perder sua esposa, mãe de sua filha Aline de Castro Pereira, hoje com 26 anos, quando ela ainda era pequena para um câncer de estômago, ele passou a exercer seu principal papel no mundo: de pai e mãe. Para chegar no dia maravilhoso que está por vir, Tales trabalha como gari em Goiânia, profissão que permitiu cuidar de sua filha e garantir seus estudos que hoje se tornaram uma orgulhosa graduação em medicina.

A futura médica não poderia ter feito mais bela homenagem à dedicação de seu pai e em seu convite de formatura, a foto escolhida é ao lado dele junto com a dedicatória:

“Ao meu pai, agradeço profundamente por ter vivido cada dia comigo, se desdobrando para ajudar a cumprir minhas obrigações e se preocupando com meu bem estar e me amparando com as mais diversas formas de amor. Você é meu maior exemplo de luta e determinação para vencer na vida”.
“É muito emocionante. A gente fica todo derrubado. Fiz minha parte e ajudei. Agora ela vai colher os frutos. Ela é uma joia. Para chegar onde chegou, é uma guerreira”, elogia o pai do ano.

Segundo a Aline, foi a doença de sua mãe que a motivou a seguir a carreira médica, e que pretende se especializar em gastroenteorologia.

Graças ao suor do trabalho duro de Tales, ela cursou apenas colégios particulares e o resultado foi a aprovação em três vestibulares: Escola Superior de Ciências da Saúde, no DF, Universidade Federal do Tocantins (UFT) e Universidade Federal de Goiás (UFG), onde fez o curso.
Ela se recorda do momento em que soube da aprovação. “Ele ficou na expectativa com um radinho de pilha, à moda antiga, esperando sair a lista. Quando eu vi na internet, foi muita emoção”, lembra.

Por Ana Victorazzi em Razões para acreditar

Nenhum comentário

Postar um comentário