As sete irmãs - Lucinda Riley

Eu sou totalmente apaixonada pelo estilo dos livros da Lucinda, ela volta no tempo, conta a história dos antepassados dos personagens, que sempre é encantadora, dessas que você não desapega de jeito nenhum, explicando como o personagem central chegou onde está, então é como se fossem dois livros em um só. Esse em especial é intenso, nos faz buscar mais, querer conhecer a fundo sobre a construção do Cristo redentor do Rio e a Paris dos anos 20. A pesquisa histórica envolvendo os personagens reais também não deixa a desejar. É o primeiro de uma série. Recomendo 1000 vezes!

Sinopse: Maia D’Apliése e suas cinco irmãs estão reunidas no lar de sua infância, Atlantis – um fabuloso castelo isolada às margens do Lago Genebra –, e acabam de saber que o seu amado pai, o misterioso bilionário Pa Salt, está morto. As irmãs foram adotadas por ele quando eram bebês, e, agora, descobrindo que seu pai foi sepultado no mar, cada uma delas recebe uma intrigante pista sobre sua verdadeira origem – uma pista que leva Maia a atravessar o mundo a fim de conhecer uma mansão em ruínas no Rio de Janeiro. É lá que ela começa a junta as peças de sua história.
Oitenta anos antes, em plena Belle Époque do Rio, em 1927, o pai de Izabela Bonifácio deseja que a filha faça um bom casamento e consiga fazer parte da elite da cidade. Enquanto isso, o arquiteto Heitor da Silva Costa trabalha em uma estátua batizada como Cristo Redentor, e está de viagem marcada para Paris a fim de encontrar o escultor perfeito para concluir o seu projeto. Sonhadora e desejosa de conhecer o mundo, Izabela convence seu pai a deixá-la acompanhar o Sr. Heitor e sua família à Europa antes de se casar. Em Paris, no ateliê de Paul Landowski, ela conhece o jovem e ambicioso artista Laurent Brouilly, e sabe desde então que sua vida nunca mais será a mesma.

Curiosidades:
*Também conhecidas como Sete Irmãs, as Plêiades são o agrupamento de estrelas mais próximo da Terra, a uma distância entre 434 e 446 anos-luz. O grupo dá origem ao nome de cada uma das irmãs da série As Sete Irmãs.
*Um lindo objeto chamado esfera armilar surge misteriosamente nos jardins da casa das irmãs, no Lago de Genebra, e tem um papel-chave na série “As Sete Irmãs”.
Acredita-se que o astrônomo grego Eratóstene tenha inventado a esfera armilar, por volta de 200 a.C., para entender como o firmamento e as estrelas se moviam em volta da Terra. Sua esfera tinha uma bola no centro que representava a Terra e quatro anéis (armilas) sobrepostos em volta. Ao longo dos séculos, o desenho da esfera armilar foi se modificando para respeitar as novas descobertas da astronomia. Antes do advento dos telescópios na Europa, no século XVII, a esfera era o principal instrumento usado pelos astrônomos para determinar as posições celestes.

"A série As Sete Irmãs é uma história sobre humanidade: amor, família, felicidade, perda, medo e dor. E, acima de tudo, a dádiva que é mais importante do que qualquer outra e que manteve vivos os seres humanos em meio a sofrimentos insuportáveis: ESPERANÇA."

(Lucinda Riley)

Nenhum comentário

Postar um comentário