As versões da história

Se parar um pouco para pensar, são no mínimo estranhas, essas histórias sobre as bruxas que a gente passou a vida ouvindo, não me refiro aos contos de fadas, mas sim a caça as "bruxas" documentada em tantos livros pelo mundo. Assistindo ao cenário no século 21, é mais simples entender o que se passava há pelo menos 200 anos, lembrando que a lei que deixou de usar "bruxaria"como motivo de acusação a outra pessoa, na Inglaterra, foi excluída apenas nos anos 50, isso sim é assustador.
O que levou tantas mulheres a serem mortas pela ignorância alheia, com certeza não foi nada sobrenatural, se hoje ainda vemos pessoas serem julgadas pelos outros por razões toscas, imagine na Idade Média! Se um homem fosse rejeitado, a mulher com toda certeza era bruxa. Se uma esposa visse outra mulher olhando para o seu marido, a outra certamente era uma bruxa. Uma mulher que desobedecesse qualquer "regra"moral da época, fosse vista em grupos de mulheres, bonita demais, feia demais, bichos demais, gatos por perto, esperta demais ou de menos, por intrigas pessoais, para roubar sua plantação, sua casa, inveja, culpa, cobiça... Tudo, exceto invocação de entidades religiosas. O mais provável é que eram somente vítimas dos pensamentos e obsessões alheias. A história perpetuou a palavra (bruxa) como ofensa e mais uma vez se baseou no medo do que não entende para estigmatizar qualquer mulher, que pudesse ousar ser um pouco diferente do que lhe foi imposto. Como sempre só conhecemos um lado da história, afinal o outro lado era proibido de apender a ler e escrever ou não sobreviveu para contar a sua versão. A verdade vai muito além do que nos foi contado, ou você já viu alguém voando em vassouras por aí?

Nenhum comentário

Postar um comentário