Ao contrário

O mundo está ao contrário e todos devem estar sentindo isso de alguma forma. Não consigo entender a facilidade que tanta gente tem em julgar os outros, a tranquilidade em ofender as pessoas na internet ou na vida real, como se ninguém sentisse mais nada. Não somos vazios, nunca fomos, então de onde vem essa ausência de sentimentos? O que está nos fazendo tão cegos ao que o outro possa sentir? No olhar de cada um a gente consegue ver uma pontinha de desespero em relação ao futuro, como se todo mundo estivesse se vendo encurralado sem entender a razão. Solidariedade vira notícia, superação vira notícia, gentileza vira notícia, tudo o que deveria ser corriqueiro vira notícia, por ser raridade. Aplaudimos essas atitudes porque nos acalma ver que nem tudo está perdido, apesar de entender, com tristeza, que a nossa volta esses gestos são menos comuns do que deveriam. É difícil não se perder com as mazelas mostradas nos jornais, os horrores do racismo, da violência, os preconceitos de uma sociedade que parece não querer se curar. Espero que nossos filhos tenham um êxito social maior que o nosso, depois de séculos errando, já devíamos ter aprendido e parado de andar em círculos em uma repetição de falhas sem fim. Vamos acordar e resolver isso, está difícil suportar milênios de atraso.

Nenhum comentário

Postar um comentário