@maria.alinemoretto

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

As dores da mudança

Um dia, talvez a gente consiga explicar exatamente porque mudar é tão doloroso algumas vezes. Primeiro vem a coragem para começar, depois o processo de desapego de quem você foi, para quem quer ser, os costumes, a acomodação, o jeito antigo de encarar as coisas.
O que faz com que a gente mantenha a disciplina, a força de vontade e o foco, pode ser justamente a consciência de quem um dia você foi, algo impulsionou a vontade de mudar, mas nem todos os dias essa memória está firme o bastante para não permitir que a gente abandone o caminho. É preciso se conhecer muito bem, para seguir com os objetivos presentes diariamente nos pensamentos, ser forte e ter determinação muitas vezes não bastam. Nem todo mundo que decide desistir é covarde ou não tem disciplina, ser forte o tempo todo é difícil e exige mais do que estamos acostumados a ceder, o importante é respeitar os próprios limites consciente de que um dia de cada vez, é possível ir mais além, então no futuro poderá olhar o caminho percorrido e dizer que fez o seu melhor, isso sim vai valer a pena. Faça o seu melhor, superar a si mesmo é a única batalha que importa de verdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário